Melhores destinos de inverno no Sudeste do Brasil

sexta-feira, 26 de junho de 2020

Para quem mora no sudeste do Brasil, como nós, assim que começa o outono começam também os planos para curtir as baixas temperaturas, coisa rara por esses lados. Embora no período de outono-inverno a previsão do tempo nesta região do Brasil vá de um extremo a outro no termômetro de um dia para o outro (ou às vezes até no mesmo dia!), é garantido que haverá pelo menos uma semana ou duas de frio considerado intenso, e muitos dias lindos e secos de sol quente com noites mais frias. Acrescente-se a isso a expectativa de pelo menos um feriado prolongado (Corpus Christi, normalmente em meados de junho) e as férias escolares de julho, e pronto: os conhecidos "destinos de inverno" localizados nas serras dos estados de São Paulo, Minas, Rio e Espírito Santo já se enchem de turistas entre final de maio até meados de setembro. (Menos nesse ano de 2020, por motivos óbvios 😔)
Vale lembrar que da mesma maneira que as temperaturas descem, os preços sobem - mas quem resiste a passar um friozinho na montanha e poder vestir aquele combo gorro-cachecol-luvas, não é mesmo?
Seja para aproveitar a dois numa viagenzinha romântica, com a família toda para fazer ecoturismo ou em turma para sair da rotina, separamos uma lista desses destinos para todos os gostos!

⇝ Em São Paulo

Campos do Jordão
Campos do Jordão, na Serra da Mantiqueira, é sem dúvida a estrela maior no estado quando se fala em destinos de inverno. Com uma programação intensa e uma oferta infinita de restaurantes e hospedagens para todos os bolsos, a cidade fica lotada todos os finais de semana a partir do feriado de Corpus Christi, um dos mais lucrativos para a cidade.
vista de Campos do Jordão a partir do Morro do Elefante
Já tive muito ranço de Campos do Jordão porque não conhecia nada além das ruazinhas cheias de turistas do badalado bairro do Capivari, mas depois que começamos a viajar para lá em família (moramos a menos de uma hora da cidade, por isso já fizemos muitos bate-voltas) descobrimos lugares maravilhosos fora do roteiro compras+restaurantes.
Alguns dos nossos locais preferidos são o Amantikir, o Horto e o Museu Felícia Leirner, que ficam bem afastados do agito e permitem apreciar a natureza maravilhosa da região. Para quem viaja com crianças, o Parque do Capivari, o Parque Floresta Encantada e o Tarundu são também ótimas opções. E para uma viagem só de adultos, vale marcar para conhecer a fábrica da Baden Baden, que oferece concorridas visitas guiadas para maiores de 18 anos.
Museu Felícia Leirner
Amantikir
Parque do Capivari
Abaixo alguns posts sobre Campos do Jordão que temos aqui no blog:
Onde fica Campos do Jordão: partindo de São Paulo, são cerca de 170 km. Segue-se pela Rod. Pres. Dutra (BR-116) até Taubaté, seguindo então pela BR-383.

Santo Antonio do Pinhal
Uma alternativa mais barata e não menos bonita em termos de natureza é sua vizinha Santo Antonio do Pinhal. Essa pequena cidade vizinha a Campos do Jordão conta com ótimas opções gastronômicas e um visual incrível da região a partir do Pico Agudo - um ponto de voo livre a 1700 m de altura e acessível com carro comum. 
A Estação Ferroviária Eugenio Lefèvre e o Jardim dos Pinhais Ecoparque também são lugares muito bacanas que merecem uma conferida - vale a pena parar para conhecer Santo Antonio do Pinhal nem que seja de passagem para Campos do Jordão, já que ficam bem pertinho uma da outra. Contamos sobre os passeios imperdíveis por lá neste post: O QUE FAZER EM SANTO ANTONIO DO PINHAL, NA SERRA DA MANTIQUEIRA
Pico Agudo

Estação Ferroviária
Jardim dos Pinhais
Onde fica Santo Antonio do Pinhal: partindo de São Paulo, são cerca de 170 km. Segue-se pela Rod. Pres. Dutra (BR-116) até Taubaté, seguindo então pela BR-383 - é exatamente o mesmo caminho de Campos, basta ficar atento à entrada para Santo Antonio do Pinhal.

São Bento do Sapucaí
Ainda na Serra da Mantiqueira fica a fofíssima São Bento do Sapucaí, uma cidadezinha com cara de interior repleta de opções de hospedagem com preço mais amigável que Campos do Jordão e onde fica o pico mais famoso da região: a Pedra do Baú. O Restaurante Pedra do Baú é uma parada obrigatória, tanto para quem vai se arriscar a subir na pedra - dali partem algumas das opções de trilha que incluem uma parte com escalada - quanto pela vista incrível da Pedra e do entorno. A estrada entre Campos do Jordão e São Bento é uma atração por si só, um caminho sinuoso entre as montanhas que vale a pena percorrer bem devagarinho só pra ir apreciando o visual. No meio do caminho fica o acesso ao Complexo da Pedra do Baú, de onde saem as principais trilhas para as 3 pedras do complexo - além da Pedra do Baú (bem difícil), também dá para subir na Ana Chata (igualmente difícil) e no Bauzinho - uma opção bem mais fácil, que inclusive fizemos com as crianças e contamos neste post: TRILHA DO BAUZINHO EM SÃO BENTO DO SAPUCAÍ COM CRIANÇAS.
Mapa no início da trilha do Bauzinho
Lateral da Pedra do Baú vista do Bauzinho
Restaurante Pedra do Baú

Onde fica São Bento do Sapucaí: partindo de São Paulo, são cerca de 190 km. Segue-se pela Rod. Pres. Dutra (BR-116) até Taubaté, seguindo então pela BR-383 até Santo Antonio do Pinhal. É preciso cruzar a cidade até o início da SP-42 - o interessante é que nesse trajeto cruza-se a fronteira com Minas Gerais duas vezes!

São Francisco Xavier
Mudando um pouco de direção mas ainda na serra da Mantiqueira fica o distrito de São Francisco Xavier, pertencente ao município de São José dos Campos (onde moramos!). Paraíso dos ciclistas de montanha (marido incluído), é um lugar super procurado pelos amantes de trilhas durante o ano todo.
mapinha esquemático na entrada do distrito
Separado de São José dos Campos por 50 km de uma estrada cheia de curvas e que cruza a cidade de Monteiro Lobato, São Chico - como é conhecido por esses lados - tem um centro bem pequenininho e concentrado em volta da Igreja Matriz, com deliciosos restaurantes espalhados pelas poucas ruas por ali. Os hotéis e pousadas ficam em sua maioria mais afastados, espalhados pela zona rural, e muitos deles exploram o turismo rural e o ecoturismo, em especial no inverno, oferecendo quartos com lareiras e outros mimos. Já nos hospedamos numa pousada muito fofa que tem trilhas dentro de sua própria propriedade, tem mais detalhes neste post aqui: SÃO FRANCISCO XAVIER - DICAS DE POUSADA, TRILHAS E RESTAURANTES
São Francisco Xavier vista do alto
uma das cachoeiras das trilhas do Pouso do Rochedo
Onde fica São Francisco Xavier: partindo de São Paulo, seguir pela Rod. Pres. Dutra até São José dos Campos. Dali seguir as placas indicando Monteiro Lobato para chegar à SP-050. São cerca de 50 km a partir de São José dos Campos - atenção porque a estrada é cheia de curvas!

Cunha
Seguindo em outra direção, já a caminho do litoral, fica a pequenina Estância Climática de Cunha. Conhecida pelos seus inúmeros ateliês de cerâmica espalhados pelas ladeiras íngremes, possui uma boa rede hoteleira - assim como acontece com suas outras colegas montanhosas, grande parte das pousadas fica fora da cidade. A região de Cunha é linda e a cidade abriga também o Lavandário, uma fazenda de lavandas que permite a visitação e tem um pôr-do-sol maravilhoso (temos um post contando sobre ele aqui: LAVANDÁRIO EM CUNHA COM 2 MALINHAS). 
vista da serra a partir do Lavandário
Em Cunha fica também um dos acessos ao Parque Estadual da Serra do Mar, onde é possível explorar trilhas e cachoeiras, além da famosa Pedra da Macela, um pico de mais de 1800 m de altura com vista para o mar. Aliás, fica a dica para os mais destemidos: descer a serra que liga Cunha a Parati, uma viagem em meio a lindas paisagens de mata atlântica e mirantes incríveis - tem que ser de dia, para ver tudo isso e também porque a estrada tem trechos bem precários e mal sinalizados!
em meio às plantações do Lavandário
Onde fica Cunha: partindo de São Paulo, seguir pela Rod. Pres. Dutra até Guaratinguetá (cerca de 170 km). Dali seguir pela BR-456 por 50 km - atenção: é uma estrada linda, em meio à zona rural, mas cheia de curvas.


⇝ Em Minas Gerais
Minas no inverno é garantia de céu azul de brigadeiro em contraste com o relevo montanhoso - eu particularmente amo essa paisagem! Para nós, o sul de Minas é logo ali e vale cada curva de suas estradas - que normalmente são mão dupla e super sinuosas, requerendo atenção redobrada.

Gonçalves
Uma opção bacana e pouco badalada no sul de Minas no inverno - e nas outras estações do ano também, por que não? - é Gonçalves, também na serra da Mantiqueira e vizinha de São Bento do Sapucaí, de quem já falamos acima. O encanto começa já na estrada de acesso à cidade, um caminho lindo em meio àquela paisagem de céu azul e montanhas verdinhas.
cidade de Gonçalves vista do caminho
A cidade tem aquela carinha de interior de Minas, onde tudo gira em torno da Igreja Matriz - a procissão de Corpus Christi é bem famosa, com aqueles lindos tapetes de serragem na rua - e a comida nos vários restaurantes é farta e deliciosa. Estivemos lá num feriado desses e registramos aqui neste post a nossa visita à cidade: UM DIA EM GONÇALVES (MG) COM 2 MALINHAS
Nós fizemos um bate-volta, mas há vários hoteizinhos e pousadas charmosas, muitas no estilo hotel-fazenda, assim como diversas cachoeiras e trilhas no seu entorno.
o tradicional tapete de serragem para a procissão
padaria e café que funcionam na primeira casa de alvenaria da cidade
Como chegar em Gonçalves: partindo de São Paulo, há 2 opções: seguir até Campos do Jordão e então pegar a SP-046, que leva ao sul de Minas (210 km); ou seguir pela Rod. Fernão Dias (BR-381) até Cambuí e então pegar o acesso para Gonçalves (180 km).
Partindo de Belo Horizonte são cerca de 450 km, sendo 370 km de Fernão Dias até Pouso Alegre, quando então se pega o acesso ao sul de Minas(BR-459).

Monte Verde
Um destino bem mais badalado e famoso, especialmente para viagens a dois, é Monte Verde. Esse pequeno distrito da cidade de Camanducaia fundado por um casal originário da Letônia ganhou fama por suas baixas temperaturas - não é incomum que hajam geadas fortes e que as temperaturas caiam abaixo de zero no inverno, acontecimentos raros em outras regiões do sudeste. A oferta hoteleira é enorme, para todos os gostos e bolsos (e acessos, pois há pousadas tão encarapitadas no meio das montanhas que sempre é bom perguntar antes de ir, pois não é qualquer carro comum que sobe nas estradas mais íngremes). O centro do distrito é formado por uma única rua, com muitas lojinhas, restaurantes e cafés. O distrito também tem uma boa oferta de opções de ecoturismo - passeios de quadriciclo, a cavalo, tirolesas e trilhas que podem ser feitas a pé, com ou sem guia - para aqueles que não quiserem ficar só na comilança.
alimentando os esquilos
Nós estivemos lá com os malinhas e nos divertimos muito - post com o nosso roteiro aqui: MONTE VERDE COM 2 MALINHAS. E foi em Monte Verde que fizemos um dos passeios mais bacanas de todos os tempos: visitamos a Escola Mineira de Falcoaria, que fica numa fazenda um pouco antes da entrada do distrito, e permite interação supervisionada com as aves de rapina. Tem os detalhes aqui: ESCOLA DE FALCOARIA EM MONTE VERDE
Trilha para a Pedra Redonda
Escola Mineira de Falcoaria
Como chegar em Monte Verde: partindo de São Paulo ou Belo Horizonte, o caminho é seguir pela Rod. Fernão Dias (BR-381) até Camanducaia e então pegar o acesso para Monte Verde. De São Paulo são 160 km; de Belo Horizonte, 480 km.


⇝ No Rio de Janeiro

Petrópolis
Não tem como começar a falar de destinos de inverno no Rio de Janeiro sem ser por Petrópolis - a cidade criada pela realeza brasileira no meio das montanhas justamente para fugir do calorão da cidade do Rio de Janeiro. Fundada por D. Pedro II em meados do século XIX, guarda até hoje muitas das características de sua fundação - inclusive a casa do próprio imperador, hoje o Museu Imperial
uma das entradas da cidade
O centro histórico é um verdadeiro museu a céu aberto e dá para passar vários dias ali passeando pelas ruas e visitando os diversos museus (além do Museu Imperial, consideramos obrigatório conhecer pelo menos o Museu Casa de Santos Dumont e o Quitandinha). 
A Cidade Imperial, como é conhecida, também atrai turistas pela gastronomia - as opções são tentadoras e deliciosas! Para quem vai em busca de ecoturismo, há muitas belezas naturais no seu entorno - uma das entradas do Parque Nacional da Serra dos Órgãos fica em Petrópolis, com acesso a trilhas e cachoeiras maravilhosas. 
É um destino que agrada todo mundo, de casais a famílias, e também os mais aventureiros. Temos um post com roteiro de 4 dias por lá e outros específicos de algumas das atrações da cidade:
👉 ROTEIRO EM PETRÓPOLIS: 4 DIAS COM 2 MALINHAS
👉 5 LUGARES PARA COMER EM PETRÓPOLIS
👉 VISITA À "ENCANTADA" - O MUSEU CASA DE SANTOS DUMONT EM PETRÓPOLIS
Catedral de São Pedro Alcântara
Quitandinha
Museu Casa de Santos Dumont
Como chegar em Petrópolis: partindo do Rio de Janeiro são apenas 70 km pela BR-040. A partir de São Paulo são 450 km, sendo 370 km pela BR-116 até Seropédica, e então a BR-493 até seu cruzamento com a BR-040.

Penedo e Visconde de Mauá
Outros destinos super conhecidos na serra do Rio são Penedo e Visconde de Mauá. Conhecida como "Pequena Finlândia" por ter sido fundada por algumas famílias finlandesas, Penedo é um distrito da vizinha Itatiaia e um ponto estratégico para quem quiser se aventurar pela região.
mirante na serra entre Penedo e Visconde de Mauá
Penedo tem seus próprios atrativos: o Museu Finlandês, um centrinho comercial bacana e algumas cachoeiras de fácil acesso. A poucos quilômetros de Penedo fica a entrada para a parte baixa do Parque Nacional de Itatiaia, casa do famoso Pico das Agulhas Negras - um passeio super bacana e tranquilo que dá para fazer com a família toda numa boa, pois é possível entrar de carro e parar nos principais pontos do parque. Temos um post contando como foi passar um fim de semana por ali: ITATIAIA E PENEDO EM UM FIM DE SEMANA COM 2 MALINHAS
centro comercial em Penedo
Piscina do Maromba, no Parque Nacional de Itatiaia
Um pouco depois de Penedo, já na estrada para Visconde de Mauá, fica a entrada para a Serrinha do Alambari, um lugar menos badalado mas cheio de atrações naturais para os amantes do ecoturismo. Há algumas opções de hospedagem e muitas cachoeiras, com trilhas de graus variados de dificuldade. Contamos sobre a Serrinha aqui: ROTEIRO PELA SERRINHA DO ALAMBARI EM PENEDO - O QUE VER E FAZER
Serrinha do Alambari
Subindo a serra a partir de Penedo rumo a Visconde de Mauá, há opções para todos os gostos e bolsos. Entre os limites dos estados de Minas, Rio e São Paulo ficam inúmeras opções de hospedagem, restaurantes e cafés, trilhas e cachoeiras com todas as graduações de dificuldade. As vilinhas de Maringá e Maromba completam a trinca com Visconde de Mauá e são conhecidas por serem lugares de gente meio bicho-grilo, mas também há espaço para famílias, casais e esportistas que curtem trilha de montanha. Por causa da localização mais alta, a região ali é bem mais fria e no inverno as temperaturas caem muito, fazendo a alegria dos turistas que vão em busca de frio intenso. Mesmo caso para aqueles que buscam ecoturismo, as belezas naturais são muitas e para todos os gostos. Temos alguns posts com mais detalhes:
👉 VALE DO ALCANTILADO - ECOTURISMO EM VISCONDE DE MAUÁ
👉 O QUE FAZER EM 4 DIAS ENTRE PENEDO, ITATIAIA E VISCONDE DE MAUÁ
Sítio Cachoeiras do Alcantilado, em Visconde de Mauá
Cachoeira de Santa Clara, em Maromba
Como chegar em Penedo: partindo do Rio de Janeiro são cerca de 180 km pela BR-116. A partir de São Paulo são 270 km, também pela BR-116.


⇝ No Espírito Santo

Domingos Martins e a Rota do Lagarto
E quem disse que não faz frio no quentíssimo estado do Espírito Santo? Talvez não seja aquele frio intenso, mas os capixabas também têm um destino de inverno para chamar de seu: Domingos Martins, na serra capixaba e a pouco mais de 2 horas de carro da capital Vitória, tem seu charme e seus dias de baixas temperaturas.
Uns poucos quilômetros adiante fica a charmosa Rota do Lagarto, que pertence ao município de Domingos Martins, e é uma rota turística de pouco mais de 8 km de extensão que concentra várias pousadinhas e restaurantes fofos e dá acesso à estrela maior da serra: o Parque Estadual da Pedra Azul.
entrada do Parque Estadual da Pedra Azul
Considerada um dos cartões postais do estado, a Pedra Azul é uma formação rochosa de mais de 1800 m de altura que muda de cor por conta da incidência da luz nos líquens que a recobrem - de longe parece azulada a maior parte do dia. E o lagarto que dá nome à rota é uma pedra colada à Pedra Azul que parece mesmo um lagarto subindo nela. A poucos quilômetros da entrada do parque ficam concentrados vários restaurantes e cafés muito charmosos, todos com uma área externa irresistível e perfeita para lindas fotos. 
jardim de um dos cafés na Rota do Lagarto
Logo no início da Rota do Lagarto fica o letreiro Eu 💙 Pedra Azul, assim como um centro de informações ao visitante, algumas lojinhas e restaurantes, e um enorme relógio que também marca a temperatura, tendo ao fundo a Pedra Azul - vale parar ali para algumas fotos.
início da Rota do Lagarto
Como chegar em Domingos Martins: partindo de Vitória são apenas 50 km pela BR-262. O início da Rota do Lagarto fica 50 km adiante da entrada de Domingos Martins pela mesma estrada.

Venda Nova do Imigrante
Quem se interessar por agroturismo pode seguir um pouco mais adiante de Domingos Martins e fazer a rota turística da pequenina cidade de Venda Nova do Imigrante. Colonizada por italianos, a cidade em si não tem atrativos, mas é possível fazer o Circuito de Agroturismo e percorrer diferentes propriedades produtoras de laticínios, cervejas, cachaças, café... são mais de 20 locais que fazem parte do circuito e o turista pode, além de comprar os produtos feitos artesanalmente, também visitar e conhecer um pouco das propriedades, em sua grande maioria negócios familiares. Mais informações podem ser obtidas no quiosque de apoio ao turista logo na entrada da cidade.
mapa turístico (fonte: site da Prefeitura de Venda Nova do Imigrante)
Como chegar em Venda Nova do Imigrante: partindo de Vitória são cerca de 110 km pela BR-262, 20 km após a entrada para a Rota do Lagarto.


Esse post faz parte de uma blogagem coletiva com o tema "Destinos no Brasil" - confira abaixo os posts dos blogs participantes! 👇
📌 Dani Turismo | Onde viajar no Brasil?
📌 Destinos por onde andei | O que fazer no Santuário do Caraça?
📌 Experiência Bárbara | Roteiro pelo centro de São Paulo
📌 Uma Viagem Diferente | 20 cidades para conhecer em Minas Gerais
📌 Vamos Viajar Pra Onde Agora | O que fazer em Foz do Iguaçu
📌 Viajando com Sy | As melhores praias de Santa Catarina
📌 3 Gerações e 1 Mala | Serra Gaúcha: Conhecendo Veranópolis

📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍
Planeje sua viagem! 
Utilizando os links dos nossos parceiros abaixo, você não paga nada a mais e nos ajuda a continuar produzindo conteúdo bacana e atualizado.
🏨 Reserve sua hospedagem aqui: Booking 
🚗 Alugue um carro aqui: Rentcars
🛫 Compre passagens aéreas aqui: Passagens Promo
🏥 Contrate o seguro viagem aqui: Seguros Promo - use o cupom ENTREMOCHILAS5 e ganhe 5% de desconto!
📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍

- Salve essa imagem no seu Pinterest 👇-

24 comentários:

  1. Quem mora na região central, norte e nordeste do Brasil adora ir sentir um pouquinho desse inverno no sul e sudeste. rs... Boa seleção de destinos.

    ResponderExcluir
  2. Excelente post sobre melhores destinos de inverno no sudeste. Eu só conheço alguns mas já anotei aqui pra conhecer e aproveitar melhor essa região. Beijocas

    ResponderExcluir
  3. Deyse Marinho de Abreu26 de junho de 2020 17:36

    Amei os seus destaques de destinos de inverno no Brasil. Por aqui curtimos e muito todos os destinos de inverno. Não conheço alguns que você descreveu de São Paulo como Santo Antonio do Pinhal! Já estão na minha lista, amei as dicas! Obrigada!

    ResponderExcluir
  4. Ai que vontade de viajar e conhecer esses lugares que você listou. Tá cada vez maior a lista!!!

    ResponderExcluir
  5. Adorei a lista de destinos de inverno no Sudeste do Brasil. Alguns destinos já conheço e outros estão na lista. Só não sabia das opções do Espírito Santo. Obrigada pelo post. Vou salvar porque está completo.

    ResponderExcluir
  6. Adoro viajar no inverno, perincipalmente para lugares românticos. Já fiz esse roteiro também no inverno do ano passado, foi lindo.

    ResponderExcluir
  7. Adorei suas dicas, alguns locais eu já fui . E outros preciso desvendar ainda. Incluiria ai na sua lista a cidade de Teresópolis na Região Serrana do Rio, é linda também e ótima para quem curte fazer trilhas.

    ResponderExcluir
  8. Descobri que eu adoro sentir esse clima do inverno em uma viagem! Adorei a lista de destinos no sudeste do Brasil para aproveitar essa estação. Já conheço alguns desses locais. Fiquei com vontade de conhecer os outros.

    ResponderExcluir
  9. Muito legal as dicas, adorei descobrir várias cidades do sudeste que eu desconhecia totalmente. Já imaginei road trip pelos estados.

    ResponderExcluir
  10. Viajar no inverso é uma das minhas viagens preferidas e agora vendo as fotos das crianças vou querer levar meu sobrinho também. De todos os destinos, acho que nunca curti o frio em nenhuma cidade do Rio de Janeiro, mas agora está na lista.

    ResponderExcluir
  11. Que ótimo post, dessa lista só conheço Campos do Jordão, Cunha e Petrópolis, realmente me falta visitar destinos de inverno aqui no Sudeste, viu? Quanto lugar incrível! Tenho muita vontade de visitar São Francisco Xavier.

    ResponderExcluir
  12. Eu não imaginava que a região Sudeste tinha tantas opções de destinos de inverno! Minha listinha de lugares que quero conhecer acabou de aumentar consideravelmente! :D
    Gostei especialmente dos destinos com opções de trilhas e contato com a natureza.

    ResponderExcluir
  13. Essa família linda tem o poder da fala, quando o assunto é destino de inverno no sudeste. Já fui em alguns lugares, mas fiquei fascinada em ler cada dica dos lugares. Já estou doida para circular por ai, no pós pandemia.

    ResponderExcluir
  14. Adorei as dicas de melhores destinos de inverno no sudeste do Brasil. Quanto lugar maravilhoso! Dos que você listou, tenho muita vontade de visitar Cunha. Suas dicas só fizeram aumentar a vontade :)

    ResponderExcluir
  15. Da sua lista só não conheço Gonçalves, Petrópolis e as indicações no Espírito Santo, mas já anotei as dicas para conferir. Espero conseguir ir ainda esse ano :(

    ResponderExcluir
  16. Sem dúvida a Rota do Lagarto com a Pedra Azul é o cartão postal da Serra Capixaba, mas temos outros lugares maravilhosos aqui no Espírito Santo para curtir o inverno. Acho que vai gostar de conhecer.

    ResponderExcluir
  17. Adoro os destinos de inverno da região sudeste do Brasil. Sou louca para conhecer São Bento do Sapucaí e subir a pedra do Baú, vamos ver se consigo quando a pandemia passar

    ResponderExcluir
  18. Só destino top e que adoraríamos conhecer nesse período gostoso de inverno. Lista completa e com ótimas sugestões de destino no Sudeste. Vou guardar as dicas.

    ResponderExcluir
  19. Desses destinos de inverno no sudeste do Brasil quero muito conhecer Santo Antonio do Pinhal e São Bento do Sapucaí. Dizem que são mais baratas que Campos do Jordão, você concorda?

    ResponderExcluir
  20. Maravilhosas suas dicas de destinos de inverno no Sudeste do Brasil, Cíntia, alguns eu já conheço e outros espero que consiga conhecer também muito em breve. Ótimas sugestões, obrigada.

    ResponderExcluir
  21. Excelente post! Amei suas dicas, quero muito conhecer São Bento do Sapucaí e Monte Verde. É muito legal ver sua visão sobre viajar com os filhos, amei todas as fotos.

    ResponderExcluir
  22. Wooow...um rol de locais legais no blog e realmente combinam com a época!! Difícil escolher um!! Lugares assim são muito agradáveis e encantadores!!

    ResponderExcluir
  23. Tharsila Fernanda7 de julho de 2020 15:54

    Campos do Jordão é um clássico do inverno e Petrópolis é mesmo uma delícia de lugar. Ótimo post com destinos para aproveitar o inverno no sudeste brasileiro.

    ResponderExcluir
  24. Quantos destinos deliciosos para curtir o inverno no Sudeste do Brasil! São tantos cantinhos perto da gente pra conhecer e muitas vezes a gente nem aproveita quanto deveria, não é mesmo? Uma escapada de fim de semana do ladinho de casa para curtir os dias de inverno era tudo que eu queria!

    ResponderExcluir