Viagem de carro de São Paulo à Bahia com crianças: nossa experiência

segunda-feira, 13 de abril de 2020

Viagem de carro por longas distâncias é assunto polêmico (inclusive aqui em casa 😮😜) - há quem ame dirigir na estrada e a liberdade de fazer seus próprios horários, há quem nem possa ouvir falar de ficar horas a fio no carro, ainda mais com crianças... e há aqueles que acham essa uma forma econômica de viajar - nosso caso 🙋 uma vez que os preços das passagens aéreas sobem exponencialmente na temporada de férias escolares, que é exatamente o período em que podemos viajar. 
Como somos uma família de 5 pessoas (marido, eu, meu enteado adolescente que já paga como adulto e nossos dois malinhas que já não são bebês), a não ser que viajemos com milhas (às vezes conseguimos) ou tenhamos a sorte de uma super promoção (já aconteceu, mas fora do período de férias), viagens aéreas podem acabar custando uma pequena fortuna.
Já havíamos feito algumas viagens longas de carro pelo Brasil mas ainda não tínhamos nos arriscado até o nordeste, que foi nossa escolha para o período do final do ano de 2019. Quando escolhemos ir até Prado, no sul da Bahia, sabíamos também que seria necessário se locomover de carro para conhecermos toda a região, o que reforçou nossa decisão de viajarmos com nosso próprio carro.

Posts sobre Prado e Cumuruxatiba aqui:
Neste post vou detalhar qual foi nosso itinerário, a razão de escolhermos esse caminho e não as outras opções, e algumas dicas para suavizar a loucura aventura de viajar por 4 dias (2 para ir, 2 para voltar) com 3 crianças a bordo.

🚩 Antes de começar a conversa sobre as estradas, já vale um alerta: quem nunca saiu do estado de São Paulo pode estranhar muito as condições das estradas em outros estados, especialmente em Minas. Considerando algumas exceções - a rodovia Fernão Dias, por exemplo, que é duplicada em toda a sua extensão e está em ótimas condições - a maioria das estradas federais e estaduais não é duplicada e há sempre muitos caminhões, isso sem falar dos trechos em péssimas condições de asfalto e sinalização. Vimos pouquíssimos radares em operação e praticamente nenhum policiamento nos 4 dias que ficamos na estrada, mesmo sendo um período de muito tráfego devido aos feriados de final de ano. E, infelizmente, o que vimos de monte foi imprudência ao volante de todos os tipos, de excesso de velocidade a ultrapassagens perigosas. 
Por isso aqui ficam dois conselhos:
1- viajar SEMPRE durante o dia, mesmo que isso implique em uma ou mais paradas no meio do caminho;
2- estudar o caminho com antecedência e ir consultando os aplicativos de trânsito (usamos Waze e Google Maps) com frequência ao longo da viagem, para se informar de possíveis incidentes (ou até mesmo obras) que possam alterar a rota ou aumentar o tempo da viagem (lembrando que em muitos trechos não há sinal de internet e talvez seja necessário parar em algum local com wifi para consultar os aplicativos).

🚗 Itinerários possíveis a partir de São Paulo
Nós moramos em São José dos Campos, a cerca de 100 km de São Paulo capital - portanto quem for sair de outro ponto do estado deve considerar as distâncias até nosso ponto de partida, ok?
No mapa abaixo estão as 3 opções de itinerário a partir de São Paulo até o sul da Bahia (cerca de 1300 km), todas bem próximas em termos de quilometragem e tempo de viagem. Nossa intenção era dividir a viagem em dois trechos, pernoitando no caminho e tentando deixar o trecho mais longo para o primeiro dia.
* todas as imagens foram tiradas de simulações no Google Maps

👉 A opção mais curta e rápida seria seguir pela BR-116 (Rod. Pres. Dutra) até o Rio de Janeiro, e a partir dali seguir pela BR-101, atravessando todo o estado do Espírito Santo até a Bahia.
👍 Escolha essa opção se sua intenção for ir parando para conhecer os lugares no caminho. Vale a pena se for passar uns dias na cidade do Rio, depois na região dos lagos, estendendo depois para Guarapari e Vitória. 
👎 Por que não escolhemos esse caminho?
Um dos motivos, sendo bem honesta, foi um certo receio de atravessar o Rio. Seria necessário atravessar toda a cidade e seus arredores, com o risco de pegar muito trânsito e passar por áreas não muito amigáveis. E apesar de termos ido ao Rio de carro várias vezes, não conhecemos o trecho entre os estados do Rio e do Espírito Santo e não sabíamos se haveria cidades onde pudéssemos parar para dormir. Além disso, soubemos que há vários trechos da BR-101 em obras e não tínhamos como avaliar o quanto isso impactaria no nosso tempo de viagem.

👉 A segunda opção mais curta seria seguir pela BR-116 até Teófilo Otoni, em Minas, já próximo das fronteiras entre o Espírito Santo e a Bahia, e então pegar a BR-418, conhecida como Minas-Bahia, que liga o nordeste de Minas ao sul da Bahia.
👍 Escolha essa opção caso queira explorar o interior de Minas no caminho ou conheça bem essa região e saiba onde parar.
👎 Por que não escolhemos esse caminho?
Não tínhamos informação sobre o estado da BR-116 neste trecho que corta Minas Gerais e achamos as cidades muito longe umas das outras, exatamente no trecho da viagem onde planejávamos pernoitar.
💡 Curiosidade: Vocês sabiam que a BR-116 na verdade é uma estrada que corta o Brasil de norte a sul? Ela tem mais de 4500 km de extensão, começando em Fortaleza, no Ceará, cortando os estados da Paraíba, Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, e terminando em Jaguarão, no Rio Grande do Sul.

👉 A última opção, apesar de mais longa, foi a nossa escolhida: seguir pela Fernão Dias até Belo Horizonte, dali seguir pela BR-381 até Governador Valadares, pegar a BR-116 sentido Teófilo Otoni e então seguir pela BR-418 até a Bahia.
👍 Por que escolhemos esse caminho? Primeiro porque faríamos um bom trecho pela Rodovia Fernão Dias, que é conhecida e totalmente duplicada. Pesou também o fato de que, apesar de não conhecermos bem as estradas depois de Belo Horizonte, haveria várias opções de cidades com boa estrutura para o nosso pernoite. Nossa intenção inicial era tentar esticar até Teófilo Otoni no primeiro dia de viagem, para que conseguíssemos aproveitar a tarde do dia seguinte já em Prado.


📋 SP-MG-BA: trecho a trecho

👉 De São Paulo a Belo Horizonte - BR-381 (Fernão Dias) - cerca de 600 km
Como nosso ponto de partida era São José dos Campos, já pegamos a Fernão Dias na altura de Atibaia - que dá mais ou menos na mesma que sair de São Paulo em termos de distância. Apesar de alguns trechos bem sinuosos e a circulação de caminhões ser intensa (é a principal via de ligação entre SP e MG), a rodovia está em ótimas condições e a viagem foi tranquila. São 7 pedágios no valor de R$ 2,40 cada entre Atibaia e BH, num total de R$ 16,80 (valores em dezembro/2019).
Saímos antes das 4 da manhã de casa e tomamos café no caminho, num lugar muito simpático chamado Venda do Chico, na altura de Três Corações. Os malinhas (que não dormiram nada no caminho por conta do entusiasmo com a viagem, vale dizer) adoraram o café ao ar livre do lado de um lago cheio de carpas.

👉 De Belo Horizonte a Ipatinga - BR-381 - 210 km
De longe esse é o trecho mais complicado da viagem! São apenas 200 km mas em uma estrada em obras de duplicação, cheia de desvios e com circulação grande de caminhões e carros - essa região da Grande BH é conhecida como Vale do Aço e muita gente se desloca da capital para as cidadezinhas por ali (João Monlevade, Cocais, Nova Era), onde ficam grandes siderúrgicas. 
É bom contar que esse trecho leva umas 4 horas, o que pode ser bem cansativo para o motorista (que no nosso caso já tinha levantado cedinho!). Mais que nunca vale o conselho de não viajar à noite, pois é uma estrada que requer muita atenção por conta do trânsito e dos vários desvios. Acredito que quando a duplicação estiver finalizada, o tempo de viagem vai diminuir significativamente.
Na nossa viagem de volta pernoitamos num hotel em Nova Era, cidadezinha praticamente à beira da estrada, para evitar o trecho até BH à noite. As outras cidades do caminho, incluindo Ipatinga, têm diversas opções de hospedagem por conta do grande número de empresas localizadas por ali.
Não há pedágios neste trecho.

👉 De Ipatinga a Governador Valadares - BR-381 - 105 km
De Governador Valadares a Teófilo Otoni - BR-116 - 130 km
Após Ipatinga e até Governador Valadares, a BR-381 fica mais tranquila e não está em obras, apesar de ainda ter um trânsito intenso de caminhões. São pouco mais de 100 km que levam 1h30 caso não haja nenhum imprevisto. Na nossa viagem de ida pernoitamos em Governador Valadares, que é uma cidade com boa infraestrutura e conseguimos um hotel bem no centro, com bom atendimento e que nos acomodou em um quarto conjugado.
A partir de Governador Valadares seguimos pela BR-116 até Teófilo Otoni, novamente uma estrada de mão dupla e muitos caminhões, num percurso de mais ou menos 2 horas.


👉 De Teófilo Otoni a Prado - BR-418/ BR-101/ BA-290/ BA-001 - 340 km
Último trecho da viagem e um dos mais tranquilos. Se chegou até aqui, agora falta pouco! A maior parte desse trecho é na BR-418, a estrada federal que liga o norte de Minas ao sul da Bahia e onde se cruza a divisa entre os dois estados. É uma estrada sinuosa mas em boas condições, e nos surpreendeu pela geografia - há formações rochosas lindas no caminho, como a Pedra da Boca, um morro com quase 1000 m de altura que possui uma fenda parecida com uma boca.
Em Posto da Mata, no cruzamento da BR-418 com a BR-101 há postos de gasolina e alguns pontos de parada. Optamos em parar no Giovanni Lancheria, para usar os banheiros e comer alguma coisa antes de seguir até Prado.
Dali são 50 km pela BR-101 até Teixeira de Freitas, e depois mais 60 km pela BA-290 até o cruzamento com a BA-001, a estradinha que segue beirando a costa e leva a Prado e Cumuruxatiba. Esses últimos trechos são tranquilos mas bem desertos.
Os últimos quilômetros, entre Alcobaça e Prado, são muito bonitos, cortando fazendas e plantações. E vale lembrar que o acesso para a praia de Guaratiba, uma das praias mais populares de Prado, fica nessa estrada.

Finalmente, chegamos ao nosso destino! Vale conferir nossos posts sobre a região:
👉 PRADO E CUMURUXATIBA: POUSADAS, RESTAURANTES E OUTRAS INFORMAÇÕES
👉 PRADO E CUMURUXATIBA: GUIA DE PRAIAS E PASSEIOS



Últimas dicas para uma viagem de carro tranquila 👇
↪ Todos recomendam isso e não custa relembrar: faça uma boa revisão no carro antes de pegar a estrada, conferindo óleo, pneus, estepe, faróis, e o que mais achar necessário conforme a quilometragem do veículo;
↪ Os preços dos combustíveis variam bastante de estado para estado - por exemplo, no Rio e em Minas os preços são mais altos que em SP. Adianto que não vale o risco de ficar sem combustível somente pelo desejo de economizar, uma vez que há trechos longos sem nenhum posto à vista.
↪ Tenha em mãos carregadores portáteis e cabos para carregar o celular no carro - os aplicativos de trânsito vão ser muito utilizados e não dá para se dar ao luxo de ficar com o celular descarregado no meio do caminho;
↪ Estude bem as alternativas antes de fazer viagens longas. Na volta quase optamos por seguir pela BR-101 por ser um caminho mais curto, mas pensamos melhor e decidimos fazer o mesmo caminho da ida;
↪ Viajar de carro é cansativo e pode ser muito entediante para as crianças (para os adultos também, mas a gente se controla mais). Prepare-se psicologicamente para ouvir reclamações e apartar briguinhas dentro do carro 😄 No nosso caso, o que funciona como distração por várias horas é o DVD portátil e um estojo de filmes.


📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍
Planeje sua viagem! 
Utilizando os links dos nossos parceiros abaixo, você não paga nada a mais e nos ajuda a continuar produzindo conteúdo bacana e atualizado.
🏨 Reserve sua hospedagem aqui: Booking 
🚗 Alugue um carro aqui: Rentcars
🛫 Compre passagens aéreas aqui: Passagens Promo
🏥 Contrate o seguro viagem aqui: Seguros Promo - use o cupom ENTREMOCHILAS5 e ganhe 5% de desconto!
📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍


- 👇 Salve essa imagem no seu Pinterest 👇-

2 comentários:

  1. Ja fizemos essa viagem duas vezes. Do RJ até lá. Eh uma delícia. Mas acredite. Ir pelo rio eh ótimo. Lugares "não amigáveis" tem em todos os lugares não eh mesmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Marcia! Nosso principal receio foi mesmo não encontrar um lugar seguro e que não saísse muito fora do caminho para passar a noite, por isso nossa preferência de ir por Minas.

      Excluir