Como é o Chocotour - A visita à fábrica da Garoto em Vila Velha

Um dos pontos turísticos mais famosos e conhecidos de Vila Velha é a fábrica de chocolates Garoto. Encravada praticamente no meio da cidade, é uma das 10 maiores fábricas de chocolate do mundo e ocupa uma área enorme no tradicional bairro da Glória.
A fábrica, fundada por um alemão que hoje dá nome ao endereço - Heinrich Meyerfreund - fazia e comercializava somente balas quando foi fundada, em 1929. O senhor Meyerfreund, pouco imaginativo, batizou a empresa com o próprio nome e começou a empregar meninos para vender as suas balas nos pontos de bondes e principais ruas da cidade. Como quase ninguém conseguia pronunciar o nome correto das balas, as pessoas começaram a pedir as "balas do garoto", se referindo aos meninos. E foi assim que a empresa passou a se chamar Garoto e surgiu aquela inesquecível imagem do garoto vermelho de boné, marca registrada da empresa.
A empresa passou por altos e baixos ao longo desses 70 anos, incluindo um grande crescimento nas décadas de 70-80 e uma super crise nos anos 2000 por conta de disputas entre os diferentes sócios, até que finalmente foi adquirida pela Nestlé em 2002 - um imbróglio judicial que até hoje não se desenrolou completamente (quem quiser saber mais sobre isso, tem essa matéria recente da Exame aqui).
Mas... o mais bacana de tudo sobre a Garoto é que há visitas guiadas para dentro da fábrica! Visita de verdade mesmo, de poder passar pertinho das máquinas e ver como são feitos e embalados os chocolates. Na planta de Vila Velha são feitos todas aquelas marcas que a gente conhece: Talento, os bombons da caixa amarela, o Baton (que é o único chocolate nesse formato no mundo), e aquela balinha de hortelã retangular da embalagem verde, além dos produtos sazonais como ovos de páscoa.
Marido e eu já tínhamos feito a visita em 2012, e dessa vez fui com minha amiga que mora em Vila Velha há quase 10 anos e nunca tinha ido. Para engenheiros "chão de fábrica" como nós 3 é uma experiência muito bacana, e para quem nunca pôs os pés numa fábrica de verdade deve ser uma surpresa e tanto.
A visita deve ser agendada pelo site, onde estão disponíveis os dias e horários (link aqui), e a idade mínima é 6 anos. Na mesma página estão as regras para poder participar, sendo as principais: usar calças compridas, tênis ou sapato fechado e blusa de manga curta ou comprida. Eu vi algumas pessoas usando umas calças emprestadas, pois suas roupas estavam fora das regras, mas vale dizer que é melhor ir já preparado. Os grupos são de no máximo 45 pessoas por horário, e embora o agendamento deva ser feito pelo site, o pagamento (R$ 30 por pessoa) é feito na hora, num guichê próximo à portaria. O visitante ganha então um crachá e aguarda o chamado dos guias.
A primeira etapa da visita é a preparação - é necessário guardar bolsas, mochilas e outros objetos (inclusive celulares e câmeras fotográficas 😡 pois não é permitido tirar fotos no interior da fábrica) e retirar todas as jóias, e guardá-las em armários com chave. Depois todos entram numa salinha, onde assistimos um vídeo contando a história da empresa e somos instruídos sobre as regras de segurança. Nesse momento também ganhamos as roupas de proteção e as toucas descartáveis, elásticos para prender a barra das calças e fones de ouvido, pois durante a visita o guia fala por uma espécie de rádio. Saindo dali somos encaminhados a um lavatório, onde é necessário lavar as mãos e higienizá-las com álcool gel - afinal, é uma empresa de alimentos e todos os cuidados com higiene são levados muito a sério.
Só então a visita começa! O guia explica como chegam as matérias-primas, como é feito o transporte delas até as máquinas, e dentro do prédio vemos como são confeccionados e embalados os bombons. No dia em que fui ficou faltando uma parte da visita pois algumas máquinas estavam em manutenção. A visita inclui apenas a parte de fabricação de bombons. Há 7 anos, era permitido que os visitantes experimentassem os bombons durante o tour, mas a guia nos informou que já há algum tempo proibiram essa prática pois algumas pessoas exageravam na comilança e acabavam passando mal.
Sempre acho fascinante ver como são feitas as coisas, mesmo o ambiente de fábrica sendo bastante familiar pra mim. Fiquei imaginando meus malinhas ali, iam adorar!
Ao final do tour voltamos para a salinha e nos livramos das roupas e dos fones. Nos levam então para uma outra sala, de degustação, onde aí sim pode-se experimentar os chocolates à vontade. Ali também fica uma máquina onde pode-se tirar fotos, que depois ficarão disponíveis na página oficial da Garoto no Facebook, na aba Chocotour. Dessa sala seguimos para uma antessala, o único local onde é permitido tirar fotos, onde um guia nos conta um pouco da história do chocolate, desde a época dos maias, o primeiro povo a extrair do cacau um rudimento do nosso chocolate atual.
A última etapa da visita é o museu, onde é contada a história da empresa desde a sua fundação. Há a evolução do logotipo e das embalagens, assim como várias propagandas antigas - saudosistas vão amar. Uma pena que não é permitido tirar fotos ali 😢 O museu pode ser visitado independente da visita, o ingresso custa R$ 10 e não é necessário agendamento prévio. O tour completo leva cerca de 2 horas.
Saindo do museu chega-se à lojinha, que também pode ser acessada independentemente da visita. Ali tem de tudo, de bombons a granel e embalagens diferenciadas, a outros produtos como toalhas, camisetas, bonés e imãs de geladeira. Aproveitei e comprei meus bombons preferidos, um montão de Talento, que adoro desde sempre e agora tem um monte de sabores diferentões, mais um tanto da balinha da embalagem verde. E tudo teve que caber na bagagem de mão!

🍫🍬🍫🍬 Ficha completa 🍫🍬🍫🍬
Endereço: Praça Meyerfreund, 01 - Glória - Vila Velha - ES (o museu e a loja ficam no mesmo endereço da fábrica)
Agendamento do Chocotour: Através do site, link aqui, valores e horários diferenciados para grupos
O museu e a loja tem horários específicos, consultar o site para maiores informações
Página oficial da Garoto no Facebook: @garoto

Comentários

  1. Adorei o post, não vou mentir que fiquei com inveja.... hahahahahha......

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente essa visita é demais! Vale incluir num roteiro em Vitória e Vila Velha.

      Excluir

Postar um comentário