Museu Felícia Leirner em Campos do Jordão

Eu já confessei aqui antes que tinha ranço de Campos do Jordão. Morei em São José dos Campos (a uma hora de Campos, ou 85 km) por uns bons 10 anos sem entender o que a galera ia fazer lá - achava sem graça no último grau ficar zanzando por lojinhas com preços astronômicos e vendo gente vestindo gorro e casaco de pele no calor de 25oC. Foi só depois que os malinhas nasceram e passamos a visitar a cidade em família que a minha antipatia começou a passar, pois foi aí que descobri uma porção de lugares lindos fora do badalado centrinho de Capivari - inclusive a primeira viagem da minha malinha mais velha foi pra lá, quando ela tinha só 2 meses, e foi uma delícia sair de casa com ela.
Mas o lugar que me tirou de vez a implicância foi o Museu Felícia Leirner. Estivemos lá pela primeira vez em 2012, com uma malinha de 2 anos e o outro na barriga, num dia frio e ensolarado, e me encantei. Sem dúvida é um dos lugares mais bonitos de Campos do Jordão.
Mas o que esse lugar tem de tão especial? É um museu ao ar livre, afastado da cidade, no alto de um morro, repleto de esculturas encantadoras e uma vista de tirar o fôlego. No mesmo local, compartilhando a imensa área verde, fica o Auditório Claudio Santoro, sede do Festival Internacional de Inverno que acontece todos os anos no mês de julho. 
A Felícia Leirner, artista responsável pelas 85 obras de granito, bronze e cimento branco espalhadas pela área verde, foi uma polonesa que viveu a maior parte da sua vida no Brasil. Na década de 60 ela se mudou para Campos e deu início às obras que comporiam o acervo. O museu foi inaugurado em 1978, mas as obras expostas só seriam finalizadas em 1982. Ela continuou produzindo até sua morte, em 1996.
A combinação das obras com a natureza do entorno é maravilhosa, e as crianças se encantam com o fato de poderem interagir com elas, entrar, sair, imitá-las... pra mim, um exemplo perfeito de como a arte pode tocar as pessoas, sem interpretações complicadas nem necessidade de explicação.
O caminho onde ficam as estátuas de bronze, todas retratando figuras humanas, foi o que mais tocou os malinhas. Eles amaram tentar identificar as estátuas no mapinha e imitar algumas delas.
As esculturas abstratas também chamaram a atenção, todo mundo ficou querendo adivinhar o que seriam!
Mas as mais bonitas, na minha opinião, são as de cimento branco, que ficam espalhadas por toda a extensão do museu. A grande diversão é tentar adivinhar o que parecem - casinhas, borboletas, pirulitos, arco-íris, crianças de ponta-cabeça...
No ponto mais alto do museu tem-se uma vista privilegiada da famosa Pedra do Baú, situada entre Campos e São Bento do Sapucaí. Num dia sem névoa é possível ver o contorno perfeito da montanha.
Considero um passeio imperdível para quem vai a Campos do Jordão. Se o dia estiver ensolarado então, vai valer cada minuto - a paisagem é linda demais!

Ficha completa:
Site - www.museufelicialeirner.org.br
Endereço - Av. Dr. Luis Arrobas Martins, 1880 - Alto Boa Vista - Campos do Jordão/SP
Horário de funcionamento - terça a domingo, das 9h às 18h
Valor do ingresso - adulto R$10, crianças até 10 anos não pagam, aos domingos a entrada é livre

Mais dicas da cidade neste post: Dicas de Campos do Jordão - com e sem malinhas

**********************************************************************************************
Museu é lugar de criança sim! Abaixo outros museus ótimos para levar as crianças:
Museu da Cidade de Salto - nesse post aqui
Museu de Arte Sacra e Museu da Imigração, em São Paulo capital - nesse post aqui
Museu Ferroviário e Museu Castelo, em Paranapiacaba - nesse post aqui
Museu do Futebol, em São Paulo capital - nesse post aqui
Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba - nesse post aqui
Museu da Água, em Indaiatuba - nesse post aqui
Museu de Zoologia da USP - nesse post aqui

Comentários