Como é o Zooparque Itatiba no interior de SP

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020

As férias escolares voaram e já voltamos à "programação normal" por aqui! Como de costume, aproveitamos as férias dos malinhas para fazer passeios curtos perto de casa, e essas férias não foram exceção. Meus malinhas são loucos por animais e por isso repetimos um passeio que já fizemos algumas vezes, mas que já fazia 5 anos que não íamos: o Zooparque Itatiba.
Há um bom tempo que a grande maioria dos zoológicos deixou de ser um amontoado de animais somente para apreciação. Eles passaram a ter um papel importante no resgate e reabilitação de animais silvestres, bem como uma participação importante na preservação de espécies ameaçadas de extinção. O Zoológico de São Paulo é assim (tem post dele aqui: ZOOLÓGICO DE SÃO PAULO COM 3 MALINHAS), e o Zooparque Itatiba também. A diferença fica na administração - o Zooparque, a exemplo do Parque das Aves em Foz do Iguaçu, é um zoológico particular, fundado por empresários europeus.
A ideia dos proprietários era trazer para o Brasil o modelo já bastante explorado na Europa: um espaço de lazer que também promovesse consciência ambiental. Inclusive o Zooparque tem um "irmão" na Áustria (o que explica o fato de todas as placas do zoo estarem em português, inglês e alemão 😉), com os mesmos proprietários e diretoria, com quem colabora ativamente na troca de profissionais, melhores práticas e até de animais.
Não sei se houve alguma expansão ou mudanças significativas no local, ou se agora os malinhas são maiores e aproveitaram mais o passeio, ou ainda se foi a programação especial de férias, mas achamos (marido e eu) o passeio muito mais bacana e cheio de atrações que há 5 anos e gastamos muito mais tempo vendo tudo.

🐾 Como é o zoológico
O Zooparque ocupa uma área de 500 mil m2 de mata atlântica na cidade de Itatiba, a cerca de 80 km de São Paulo, e tem mais de mil animais de 180 espécies diferentes. 
Além da trilha principal, que tem cerca de 3 km de extensão, há as trilhas temáticas (Mata Atlântica, Pantanal e Amazônia), um Minizoo, com animais de fazenda (porcos, coelhos, cabras) e o Jardim Sensorial, uma mistura de horta e pomar, com árvores frutíferas de várias espécies e ervas de todos os tipos, ao alcance das mãos.
Nas férias e feriados há sempre uma programação especial que fica afixada na entrada, com os horários - no sábado em que fomos as principais atrações eram os momentos de alimentação de vários tipos de animais.
O Zooparque também conta com um restaurante (logo na entrada) e duas lanchonetes (uma na entrada e outra perto da área dos elefantes), assim como aquela lojinha básica 😁. Tem também um playground super bacana, com uma mini-tirolesa e um escorregador gigante, acessado pela boca de uma cobra gigante (!), onde ficamos um tempão antes de ir embora.
Nós chegamos ao meio-dia e fomos direto ao Minizoo, onde havia começado o momento de alimentação dos animaizinhos. Essa área fica separada da trilha, do lado direito da entrada, e não conhecíamos. Os tratadores dão folhinhas de verdura para que as crianças possam alimentar diretamente as tartarugas, coelhos, cabritinhos - nem preciso dizer que os malinhas amaram essa parte!
Outra área que não conhecíamos era o Jardim Sensorial, que fica junto ao Minizoo, uma área verde linda com ervas aromáticas ao alcance das mães e diversas árvores frutíferas. A vista dali também é bem bonita.
Dali retornamos à entrada e seguimos pela trilha principal, que já começa com um recinto onde os pássaros ficam soltos. Me lembro de, nas visitas anteriores, haver tucanos ali, mas dessa vez eram outras espécies.
A trilha não é difícil mas não é pavimentada, o que dificulta um pouco levar um carrinho de bebê. Há vários locais panorâmicos e placas informando sobre os animais em cada espaço (espécie, origem, reprodução, alimentação, nível de ameaça). O bacana é que em muitos pontos se aproveitou o desnível do terreno para que seja possível ter um outro ângulo de visão dos mesmos espaços.
Em alguns pontos da trilha principal partem as trilhas temáticas dos biomas, com várias placas informando sobre os principais animais, fauna e flora típicos, espécies ameaçadas de extinção... Uma das mais bacanas é a da Mata Atlântica, que é exatamente o bioma onde o zoo está, onde há pegadas nos degraus, uma plaquinha onde é possível comparar a nossa "pegada" ao dos animais, e um espelho mostrando nossa responsabilidade na preservação das espécies.
Os animais grandes exercem um fascínio por aqui (acho que na maioria das crianças) e tivemos sorte de chegar no espaço dos elefantes no momento exato da alimentação deles, que dividem a mesma área com os hipopótamos e os búfalos. Aprendemos muito com o tratador, um senhor simpaticíssimo com sotaque da roça - por exemplo, que a principal causa de morte nos hipopótamos são infecções que começam na boca, por isso é importante que ela seja examinada com frequência para que qualquer infecção seja tratada logo no início. Para facilitar esse processo, eles condicionaram os animais a esperar as refeições após o toque de um sininho - e foi mesmo só tocar o sininho que a família de hipopótamos toda (pai, mãe e filhinha) abriu a bocarra para ganhar repolhos 😄
Os malinhas amaram também chegar pertinho dos rinocerontes e das girafas, assim como ver os filhotinhos de tigre siberiano que nasceram ali e ainda nem tinham nome.
Um dos espaços finais da trilha é também um dos mais bonitos, onde os lindos guarás ficam soltos e pudemos ver os ninhos cheios de filhotinhos no alto das árvores (e eles dando rasante nas nossas cabeças 😜)
No final da trilha também fica a maternidade, onde é possível ver de pertinho filhotinhos de tartaruga e algumas espécies de cobras. Os dois malinhas adoram répteis e anfíbios e grudaram o nariz no vidro!
Ficamos na expectativa de ver o novo espaço que será inaugurado em abril/2020, um museu que abordará evolução e diversidade - nem preciso que nosso pequeno dinolover já ficou doido pra ver os dinos que certamente farão parte da atração...


🐾 Onde fica o Zooparque 
O Zooparque fica na cidade de Itatiba, a cerca de 90 km de São Paulo e 40 km de Campinas.
O acesso é feito a partir do km 95,5 da Rod. D. Pedro I.

🐾 Horário de funcionamento e preços
- Aberto todos os dias das 9 às 17h
- Os ingressos podem ser comprados diretamente na bilheteria - valores: R$50 adulto, R$25 crianças de 3 a 11 anos.
- O estacionamento é pago à parte, valor R$ 10.
Mais informações sobre grupos, excursões, visitas diferenciadas e programação em férias e feriados, consultar o site: zooparque.com.br

🐾 Conclusões & Dicas 
👉 Programa bem bacana para fazer em família e para excursões escolares - nossa malinha mais velha já foi com a escola há alguns anos e amou, pois o zoo tem programação diferenciada para grupos escolares.
👉 É bom tirar uma foto da programação do dia logo na entrada, para não perder os horários.
👉 Os preços na lanchonete não são absurdos, mas dá pra economizar levando lanche e água de casa. Há alguns bebedouros ao longo da trilha onde é possível se reabastecer.
👉 Aquela dupla de sempre, repelente e filtro solar, são fundamentais - há bastante sombra nas trilhas, mas também vários trechos descampados.
👉 Todo mundo sabe e no zoo há vários avisos, mas não custa lembrar: nunca alimente os animais! Há toda uma preocupação e um cuidado com a alimentação deles, não ponha em risco sua saúde, por maior que seja a tentação de fazê-los chegar pertinho para uma foto.

Mais zoológicos? Tem aqui:

📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍
Planeje sua viagem! 
Utilizando os links dos nossos parceiros abaixo, você não paga nada a mais e nos ajuda a continuar produzindo conteúdo bacana e atualizado.
🏨 Reserve sua hospedagem aqui: Booking 
🚗 Alugue um carro aqui: Rentcars
🛫 Compre passagens aéreas aqui: Passagens Promo
🏥 Contrate o seguro viagem aqui: Seguros Promo - use o cupom ENTREMOCHILAS5 e ganhe 5% de desconto!
📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍

- 👇 Salve essa imagem no seu Pinterest 👇-




Prado e Cumuruxatiba: pousadas, restaurantes e outras informações

domingo, 26 de janeiro de 2020

Já contei um pouco no post anterior - PRADO E CUMURUXATIBA: GUIA DE PRAIAS E PASSEIOS - das nossas razões para escolher esse destino no sul da Bahia para nossa viagem de final de ano em família. Já sabíamos da beleza das praias, das famosas falésias, da visita das baleias jubarte em alguns meses do ano... mas estando lá descobrimos muitos outros aspectos que nem imaginávamos! Neste post vou contar algumas curiosidades, uma ou outra informação útil e dicas de onde se hospedar e onde comer em Prado e Cumuruxatiba - lembrando que estivemos lá na semana do réveillon, altíssima temporada.


⛵ Sobre Prado e seu distrito Cumuruxatiba
Prado é um dos municípios mais antigos da Bahia e do Brasil, e tem aquela típica aparência de cidade pequena, onde o "agito" se concentra em torno da Igreja Matriz e na praça em frente a ela. O município tem 84 km de lindas praias e abriga também o Parque Nacional do Descobrimento, que infelizmente está fechado a visitação (segundo soubemos, por conta de discordâncias entre os diferentes órgãos governamentais - ICM-Bio, Funai e os governos estadual e federal).
A cidade de Prado tem cerca de 27 mil habitantes e tem uma certa infraestrutura - muitas opções de hospedagem, ótimos restaurantes, várias agências de turismo, pronto-socorro e postos de saúde, postos de gasolina, algumas agências bancárias (vimos Bradesco e Banco do Brasil) e vários festivais e outras iniciativas com foco em atrair os turistas. A maioria das praias na estrada que liga Prado a Cumuruxatiba conta com barracas e vendedores ambulantes, assim como algumas pousadas, restaurantes e campings.

Cumuruxatiba, seu distrito distante 32 km (sendo grande parte em estrada de terra) é outra conversa: a pequena vila de pescadores é muito mais rústica, embora simpática. Apesar da boa rede hoteleira e de bons restaurantes, não conta com posto de gasolina nem agências bancárias, por isso é bom chegar lá já prevenido: tanque cheio e dinheiro o suficiente para pequenas despesas. Internet também é coisa difícil (meu celular Claro não tinha sinal em lugar algum, não sei quanto a outras operadoras), e mesmo o wi-fi dos lugares não é 100% confiável - uma chuva derruba o serviço de internet na vila inteira, como aconteceu enquanto estávamos lá. Mas as praias mais bonitas, na nossa opinião, ficam depois de Cumuruxatiba. E com exceção da Barra do Cahy, que conta com uma barraca, não há nenhuma estrutura nas demais praias.
👉Saiba mais sobre as praias de Prado e Cumuruxatiba neste post: GUIA DE PRAIAS E PASSEIOS

🚗 Como chegar e se locomover em Prado 
Essa é uma região que não dá pra conhecer bem sem carro, pois o transporte público é precário e as praias são distantes umas das outras. Nós viajamos de carro desde São Paulo, mas é possível voar até o aeroporto de Teixeira de Freitas, a 80 km de Prado, e alugar um carro para poder se locomover entre as praias.
👉 Dica para encontrar passagens em promoção: utilize o site Passagens Promo
👉 Se precisar alugar um carro, consulte aqui o site da RentCars

🌄 Sobre o Monte Pascoal e a chegada dos portugueses
Durante a nossa viagem, descobrimos que pertence ao município de Prado o local onde os portugueses aportaram em terras brasileiras pela primeira vez - e não a Porto Seguro, como a maioria pensa. De acordo com os historiadores, o ponto exato, descrito por Pero Vaz de Caminha à Coroa Portuguesa, é a foz do rio Cahy, na praia de mesmo nome e uma das mais bonitas da região. Contei sobre ela lá no post sobre as praias.
Em alguns pontos da estrada para a praia do Cahy é possível ver o Monte Pascoal bem de longe (nós só identificamos que era ele porque tínhamos visto uma foto e reconhecemos o formato), mas do mar ele se destaca na paisagem, exatamente como aprendemos na escola.

🍴 Onde comer em Prado e Cumuruxatiba
A cidade de Prado tem uma tradição gastronômica forte (e vários festivais gastronômicos ao longo do ano), e isso foi uma surpresa deliciosa (com o perdão do trocadilho 😋). Sabíamos sobre o Beco das Garrafas, uma ruazinha onde se concentra a maior parte dos restaurantes, mas não tínhamos noção de como a comida era boa! Logo no primeiro dia nos surpreendemos no Donna Flor, onde comemos um prato de peixe assado na folha de bananeira delicioso e com uma apresentação maravilhosa (infelizmente a fome era tanta que nem foto deu tempo de tirar 😋), além dos sucos lindos (que deles sim, tiramos muitas fotos!)
Ainda no Beco das Garrafas, nos lambuzamos com os hambúrgueres deliciosos do Tribos do Beco, ao som de rock - o que melhorou ainda mais o sabor dos sanduíches.
Também nos encantamos com o Belo Café, na rua ao lado da igreja. Uma casa antiga com uma decoração incrível, onde os cardápios são feitos com capas de vinis antigos e as paredes cheias de poesia - sem falar dos sanduíches, cafés, tapiocas e outras delícias que servem ali. Não à toa estava sempre lotado.
E no nosso último dia em Prado, experimentamos as tapiocas do Empório da Tapioca, que fica na Praça Redonda, a poucos metros do Beco das Garrafas e de onde estávamos hospedados. Eu que nunca fui super fã de tapiocas fui deliciosamente surpreendida pelas servidas lá, umas combinações diferentes e maravilhosas!
Já em Cumuruxatiba, jantamos fartamente no Samburá Duzé, um restaurante com ambiente super agradável, ao lado da pracinha principal: dividimos o estrogonofe de camarão e o peixe frito entre nós 5, e ainda matamos a saudade do arroz com feijão.
Outro lugar maravilhoso com ambiente incrível é o Restaurante do Hermes, onde se come olhando para o mar, com atendimento nota 10 e pratos com frutos do mar de comer rezando.
E por fim, nosso queridinho em Cumuruxatiba: o Gelato Café, onde experimentamos quase tudo, menos o café 😄 Um ambiente descoladinho, também sempre lotado, onde servem sanduíches, salgados, sorvetes, cafés e uma torta holandesa que deixou saudades!
👉 Uma curiosidade: apesar da imensa quantidade de coqueiros na região, não havia sequer um vendedor de cocos nas praias! Mesmo nos restaurantes foi difícil encontrar. 

🛏 Hospedagem em Prado 
Em Prado, nos hospedamos na Pousada Canto do Rio. Achamos a localização excelente, entre o rio Jucuruçu (e uma vista incrível) e o Beco das Garrafas, o atendimento ótimo e o café da manhã um dos melhores que já experimentamos. 
Nosso quarto era espaçoso e acomodou super bem nós 5, com uma cama de casal num cômodo e 3 camas de solteiro em outro, ventiladores e aparelhos de ar condicionado em cada cômodo, e uma varandinha com vista para o rio. 
Como passamos a virada do ano ali, dentro do nosso pacote de hospedagem estava incluída uma pequena festinha de réveillon para os hóspedes na beira da piscina, com espumante e uma mesa de frios. Tudo muito caprichado e feito com carinho pelos proprietários da pousada.
Como nem tudo são flores, vale dizer que a Bahia é a Bahia e faz festa como? Sim, com trio elétrico! E semana de réveillon é meio como carnaval, e tem festa toda noite até virar o ano. Para quem gosta de festa e vai em busca de se divertir, é perfeito... mas pra nós que 1) não gostamos de carnaval nem de axé e 2) fomos em busca de sossego e passeios diurnos, foi meio tenso dormir ouvindo som alto até a madrugada. Esse é o preço de se viajar em altíssima temporada, apesar da localização excelente. Fica nosso conselho de, caso vá viajar durante o fim do ano, carnaval ou outro período de festas, perguntar na hospedagem como é essa questão do barulho, para não ter surpresas.

🛏 Hospedagem em Cumuruxatiba
Em Cumuruxatiba, nos hospedamos na Pousada Luana, uma das pousadas mais simpáticas e bem estruturadas que já ficamos. No formato de chalezinhos espalhados por um gramado super bem cuidado, também nos acomodou bem - quando viajamos em 5 sempre temos essa preocupação, pois não é muito fácil encontrar quartos que nos acomodem todos juntos. 
Nosso chalé tinha 2 cômodos, um com uma cama de casal e uma de solteiro, e no outro 2 camas de solteiro. O banheiro era ótimo e o chuveiro excelente, e todos os chalés contam com uma rede do lado de fora - o que dá um ar ainda mais aconchegante. O café da manhã era super bem servido, com muitas opções e tudo fresquinho e delicioso. Em todos os detalhes dá pra perceber o cuidado com o conforto dos hóspedes - sem luxos, mas muito bom.
A Pousada Luana fica num ponto mais alto da vila, com uma vista maravilhosa. Do outro lado da rua há alguns bancos e mesinhas, para apreciação da vista e uso do wi-fi, já que dentro dos chalés o sinal é bem ruim.
Deixo aqui meu agradecimento à Jalene, proprietária da pousada, e à sua filha Luana, que me ajudaram num aperto médico urgente. As duas foram extremamente simpáticas e super solícitas! Aliás, simpatia é o forte ali: todos os funcionários da pousada foram extremamente simpáticos e solícitos.

Links úteis:
👉 Site da Prefeitura de Prado, com calendário de festas e festivais
👉 Guia da cidade de Prado, com informações turísticas
👉 Nosso post sobre as praias e passeios: Prado e Cumuruxatiba - guia de praias e passeios

📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍
Planeje sua viagem! 
Utilizando os links dos nossos parceiros abaixo, você não paga nada a mais e nos ajuda a continuar produzindo conteúdo bacana e atualizado.
🏨 Reserve sua hospedagem aqui: Booking 
🚗 Alugue um carro aqui: Rentcars
🛫 Compre passagens aéreas aqui: Passagens Promo
🏥 Contrate o seguro viagem aqui: Seguros Promo - use o cupom ENTREMOCHILAS5 e ganhe 5% de desconto!
📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍

- 👇 Salve essa imagem no seu Pinterest 👇-

5 destinos de carnaval para fugir do carnaval

quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

Todo meu respeito a quem ama a folia dessa época e curte o clima de carnaval, seja nos bloquinhos, assistindo aos desfiles (ou desfilando), nas matinês e bailes ou atrás dos trios elétricos - eu nunca gostei de nenhuma dessas opções e, para minha sorte, marido divide comigo essa preferência pelo sossego. Mas é um feriado bem longo e não se pode desperdiçar tantos dias de folga assim, não é mesmo? E se você é como nós e prefere fugir das multidões, o jeito é viajar para lugares onde a gente nem lembra que é carnaval!
Nós temos alguma experiência no assunto e podemos sugerir alguns destinos para fugir do carnaval e ainda fazer passeios super bacanas, vale conferir 👇

📌Petrópolis (RJ)
Foi lá que passamos o feriado no ano passado, e foi uma delícia! Em 4 dias é possível fazer um roteiro bem bacana, conhecendo os principais pontos turísticos de Petrópolis. A cidade estava cheia, especialmente no sábado e no domingo, quando muitos cariocas fazem bate-volta para passar o dia, mas nem de longe lotada a ponto de incomodar. E ainda conseguimos aproveitar algumas programações especiais para as crianças no SESC Quitandinha.

📌Curitiba (PR)
Também já passamos o feriado de carnaval em Curitiba, que é uma cidade ótima de se visitar em qualquer época! Conseguimos conhecer os principais pontos turísticos apesar do tempo chuvoso, andamos no ônibus turístico, fizemos o passeio de trem até Morretes e nos deliciamos com os restaurantes do bairro de Santa Felicidade. Ficamos só com um gostinho de quero mais por causa dos lindos parques, que acabamos não explorando muito.

📌Campos do Jordão (SP)
Muito procurada no inverno, Campos do Jordão também é uma delícia no verão! Como moramos perto conseguimos fazer bate-volta, e por isso já estivemos lá muitas vezes, inclusive no meio de um feriado de carnaval. Nessa época é possível aproveitar as temperaturas mais altas e fazer os passeios ao ar livre, que são vários e vão agradar a família toda: tem o Museu Felícia Leirner, o Horto Florestal, o Amantikir - tudo isso sem passar frio!
Vale conferir nossas dicas de lugares bacanas na cidade: 6 LUGARES IMPERDÍVEIS EM CAMPOS DO JORDÃO

📌Monte Verde (MG)
Mais um destino de serra para escapar da folia carnavalesca! Monte Verde não é boa só no inverno, menos ainda um destino só para casais - já fomos num mês de janeiro com os 2 malinhas e foi ótimo! É uma boa opção para fugir do calorão, já que as temperaturas são mais amenas, e perfeita para quem curte ecoturismo. Ficamos hospedados num hotel no alto da montanha, fizemos algumas trilhas com as crianças e ainda conhecemos a Escola de Falcoaria, num roteiro de 4 dias que cabe perfeitamente no carnaval!
Post completo aqui: MONTE VERDE COM 2 MALINHAS

📌Penedo, Itatiaia e Visconde de Mauá (RJ)
Outra região com muitas opções de ecoturismo que conhecemos bem. Penedo é uma graça, com boas opções de hospedagem e muitos restaurantes deliciosos - tem até lugar onde se pesca e come a própria truta! Bem pertinho fica a parte baixa do Parque Nacional de Itatiaia, com cachoeiras e um centro de visitantes super interessante. A caminho de Visconde de Mauá fica a Serrinha do Alambari, para os mais aventureiros um prato cheio de trilhas e cachoeiras. E subindo a serra, o Vale do Alcantilado é maravilhoso, onde é possível passar o dia no Parque das Corredeiras ou curtindo as diversas cachoeiras no caminho para a Cachoeira do Alcantilado.
Temos vários posts da região, entre eles um com sugestão de roteiro de 4 dias: O QUE FAZER EM 4 DIAS ENTRE PENEDO, ITATIAIA E VISCONDE DE MAUÁ


📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍
Planeje sua viagem! 
Utilizando os links dos nossos parceiros abaixo, você não paga nada a mais e nos ajuda a continuar produzindo conteúdo bacana e atualizado.
🏨 Reserve sua hospedagem aqui: Booking 
🚗 Alugue um carro aqui: Rentcars
🛫 Compre passagens aéreas aqui: Passagens Promo
🏥 Contrate o seguro viagem aqui: Seguros Promo - use o cupom ENTREMOCHILAS5 e ganhe 5% de desconto!
📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍

- 👇 Salve essa imagem no seu Pinterest 👇-

Prado e Cumuruxatiba: guia de praias e passeios

domingo, 12 de janeiro de 2020

Foi com uma certa emoção que planejamos essa viagem ao sul da Bahia, pois adoramos viajar no reveillon e já há 2 anos que não conseguíamos! Dessa vez decidimos ir para o nordeste pela primeira vez com os malinhas, e de carro - o que vai render um post só com a viagem em si, uma vez que foram 3 mil km rodados entre os estados de São Paulo, passando por Minas Gerais, até finalmente chegarmos à Bahia.
Escolhemos Prado, na famosa Costa das Baleias, pelas várias dicas de ser um lugar lindo e tranquilo. É nessa região que as baleias jubarte aparecem, entre os meses de julho e novembro, para acasalar e dar à luz seus filhotes - as águas quentinhas entre Prado e o Parque Nacional Marinho de Abrolhos são o lugar perfeito pra isso! Várias agências de turismo vendem passeios de barco nessa época para avistá-las.
Outro motivo de fama por ali é que a maioria dos historiadores concorda que foi na Barra do Cahy, uma das praias mais bonitas entre os 84 km de praias pertencentes ao município, que os portugueses primeiro aportaram no Brasil, em 22 de abril de 1500 (na praia há uma cruz e uma placa contando detalhes). E como se tudo isso não fosse suficiente para atrair os turistas, Prado e arredores têm restaurantes deliciosos, muitos deles concentrados no Beco das Garrafas - uma ruazinha no centro de Prado que é uma perdição!
Nós passamos 6 dias em Prado e outros 3 em Cumuruxatiba, um distrito de Prado distante 32 km por estrada de terra (que em alguns pontos é bem ruinzinha), e conhecemos bem a maioria das praias. O mapa abaixo ilustra a distribuição das praias, e a seguir um descritivo praia a praia e também dos passeios disponíveis na região.
👉 Confira aqui nosso post com mais informações sobre Prado e Cumuruxatiba: PRADO E CUMURUXATIBA: POUSADAS, RESTAURANTES E OUTRAS INFORMAÇÕES

🌞 Praia do Prado
É a praia mais acessível a pé do centro de Prado, pertinho da praça da igreja. Bem movimentada, especialmente no período em que fomos, com estrutura relativamente boa e mar de tombo. Quando chegamos na cidade, exaustos após 1 dia e meio de viagem, fomos até lá ver o mar e deixar os malinhas livres para correr e brincar.

🌞 Praia do Coqueiral
Praia também bem pertinho do centro de Prado, a cerca de 1 km à direita da Praia do Prado. O acesso a pé é feito por uma plantação de coqueiros, que inclusive avançam pela areia. Não conta com barraca ou vendedores e é mais deserta que a Praia do Prado. Foi nela que ficamos no fim de tarde após o passeio de barco que fizemos pelos recifes de Guaratiba.


🌞 Praia de Guaratiba
 Adoramos essa praia, perfeita para ir em família! A Praia de Guaratiba faz parte de um loteamento de condomínios a cerca de 12 km de Prado, a partir de um acesso na rodovia BA-001, entre Prado e Alcobaça. Não é necessário se identificar para entrar, embora tenha uma portaria - acredito que porque cada condomínio ali tenha sua própria portaria e controle de entrada. Para quem é visitante há um único acesso à praia.
O mar é calmo e ótimo para as crianças brincarem à vontade - os malinhas ficaram praticamente o tempo todo na água. Há também algumas barracas e vendedores de picolé, mas apesar de se localizar entre condomínios, há espaço de sobra por conta da extensão da praia, que é imensa. Gostamos tanto dela que fomos duas vezes!


🌞 Praia da Paixão
Localizada a 10 km de Prado, por estrada de terra, sentido Cumuruxatiba. Só conseguimos chegar nela na segunda tentativa, pois na primeira uma das pontes ficou interditada por conta de um ônibus quebrado. A Praia da Paixão também tem uma boa estrutura, com algumas barracas e diversos vendedores. Rodeada por algumas das famosas falésias características da região, que fazem um contraste interessante com a areia e a água do mar.
Andando um pouco por ela encontramos alguns recifes de corais que aparecem na maré baixa e ficam cheias de pequenos moluscos e siris, os malinhas amaram ficar cutucando por ali. Foi também próximo desses recifes, numa parte mais deserta da praia, que vimos alguns resquícios do óleo que invadiu o litoral brasileiro há alguns meses - pequenas gotas aqui e ali, numa consistência quase sólida.
O mar na Praia da Paixão não é tão calmo quando na Guaratiba, mas ainda assim os malinhas ficaram bem à vontade brincando nas ondinhas.


🌞 Praia do Tororão
Um pouco à frente da Praia da Paixão fica a Praia do Tororão, a 12 km do centro de Prado. Foi no caminho dela que tiramos as fotos das famosas falésias, num dos vários mirantes espalhados pela estrada. Na praia do Tororão mesmo as falésias são mais baixas e a faixa de areia é mais estreita, dando a impressão que a praia fica espremida entre os paredões e o mar. 
Há uma grande barraca que domina a área e cobra 150 reais de consumação mínima (informação espalhada em todas as mesas, pra ninguém ter dúvida, embora essa cobrança seja ilegal) e muitos vendedores ambulantes - de picolé, de milho, de queijo coalho. Acredito que essa foi a praia com mais opções de comida entre todas as que conhecemos na região. O mar, aquele de sempre, bem calminho na maré baixa, um pouco mais mexido conforme a maré sobe.


🌞 Praia do Japara Grande
A pouco mais de 20 km de Prado, a praia de Japara Grande foi a última das praias que visitamos antes de Cumuruxatiba - inclusive foi onde passamos o dia na nossa mudança de pousadas, de Prado para Cumuruxatiba, para depois focarmos em conhecer as praias depois de Cumuruxatiba. Vou começar dizendo que é um lugar imperdível! É preciso estacionar o carro na parte de cima da falésia e descer a pé até a beira do rio Japara Grande, e dali atravessá-lo para chegar ao mar (não é fundo e vai ficando mais rasinho à medida que o rio segue para o mar). Só vendo as fotos para entender a beleza que é o contraste entre a falésia íngreme e vermelha, o rio, a areia e o mar ao fundo. 
Há um bar grande no final da trilhazinha que dá acesso à praia, e eles fornecem algumas barracas do outro lado do rio (por R$40 o dia todo), além de servir petiscos e bebidas diretamente ali (experimentamos um peixe aperitivo delicioso, servido dentro de uma caixinha de papelão para não sujar de areia - achamos a ideia genial). Nesse dia o vento estava forte e com ele veio uma chuva daquelas, que obrigou a maioria das pessoas a se abrigar no bar. Sorte que como veio, se foi, e logo o sol saiu de novo e pudemos aproveitar a praia por mais algum tempo.
Na nossa opinião, uma das praias mais bonitas da região - aliás, quanto mais ao norte, mais bonitas as praias se tornam.


🌞 Praia do Moreira
É a primeira praia ao norte de Cumuruxatiba - fica distante cerca de 8 km da vilinha e 40 km de Prado, por estrada de terra que segue até Corumbau, na divisa com Porto Seguro. Ficamos brincando que era a praia da família - marido e malinhas são Moreira, só eu que não 😞 - por isso me encarreguei de tirar a foto deles embaixo da placa e em cima da falésia.
Assim como a praia do Japara Grande, na praia do Moreira também se estaciona o carro em cima de uma falésia e desce-se por uma trilhazinha até a praia (vale dizer que essa é um pouco mais íngreme). A praia é linda, emoldurada com coqueiros, com muitos recifes de corais espalhados e algumas formações rochosas interessantíssimas, cheias de buracos onde as ondas entram e fazem barulhos estranhos.
É uma praia bastante deserta, sem barracas nem vendedores ambulantes - se bem que chegamos lá depois de uma chuva daquelas, que teria espantado todo mundo se houvesse alguém.


🌞 Praia da Barra do Cahy
Também se tornou nossa queridinha, que tivemos que repetir, pois da primeira vez começou a chover e tivemos que ir embora. A Barra do Cahy fica a 18 km de Cumuruxatiba, ou 50 km de Prado, pela mesma estrada de terra que segue até Corumbau. Da estrada é possível avistar o Monte Pascoal bem de longe (como tínhamos visto uma foto dele antes, conseguimos identificá-lo em meio aos outros morros). Há um único acesso à praia, onde também há uma barraca grande com boa infraestrutura (tendas e banheiros), que cobra 200 reais de consumação mínima.
Passando essa entrada e andando em direção ao Rio Cahy (à esquerda), chega-se ao ponto onde há uma cruz e uma placa dizendo que foi nesse ponto que os portugueses primeiro avistaram o Monte Pascoal e aportaram em terras brasileiras - de acordo com a descrição feita por Pero Vaz de Caminha. 
E andando mais um pouco chega-se ao encontro do rio com o mar, que forma deliciosas piscinas rasinhas. É um lugar lindo e parece bastante preservado, apesar de toda a área ser uma fazenda e o acesso direto àquele ponto estar fechado na estrada.

🌞 Ponta do Corumbau
Localizada a 90 km de Prado e 60 de Cumuruxatiba, já na divisa com Porto Seguro seguindo pela mesma estrada de terra da Barra do Cahy, é um lugar paradisíaco - mas que não conseguimos conhecer 😞 Soubemos que a estrada é bastante precária em alguns pontos e por conta das chuvas e da distância decidimos adiar a visita para uma próxima vez. Há passeios de barco até lá, saindo de Cumuruxatiba, com valores de 100 a 150 reais por pessoa, dependendo da agência e do barco. Mas novamente, como pegamos alguns dias de chuva, ficamos com medo de pegar chuva no mar e o passeio não valer a pena.


Recifes de Guaratiba
Fizemos esse passeio que sai do rio Jucuruçu, em Prado, e recomendamos! Fomos no barco Sereia de Guaratiba, que sai do cais atrás da pousada que ficamos (Canto do Rio) - valor R$100/pessoa, as crianças pagaram metade, snorkels e sapatilhas podem ser alugados à parte. Estão incluídos no passeio água e frutas.
O roteiro inclui a navegação por cerca de 1 hora até os recifes de Guaratiba que, na maré baixa ficam descobertos e pode-se andar sobre eles. O barco então fica "estacionado" próximo aos recifes por um período que varia entre uma e duas horas, dependendo da maré, e retorna para Prado. Levamos nossos próprios snorkels mas erramos em não alugar as sapatilhas (que na verdade eram crocs) e fomos de chinelo, o que atrapalhou um pouco, mas nada que estragasse o passeio. Vimos ouriços do mar e outros bichinhos, além de muitos peixes coloridos. Os malinhas amaram, pois foi a primeira experiência deles em mergulho no mar. Um arrependimento foi não ter descido nos recifes com o celular nem com câmera, e por isso só temos fotos com a GoPro 😔
O passeio sai às 9 h da manhã e retorna por volta das 14 h, o que não é cansativo para os menores e permite que se aproveite o resto do dia na praia. Vale muito a pena fazê-lo!


⛵ Passeio a Abrolhos
Marido ficou todo empolgado em conhecer o Parque Nacional Marinho de Abrolhos e resgatou até a carteirinha e material de mergulho, por isso quando chegamos a Prado fomos pesquisar sobre o passeio. Segundo apuramos, o passeio não sai de Prado e sim de Caravelas, a 50 km de Prado, com saída às 6h30 da manhã e retorno após as 19h, dependendo do mar. O passeio inclui a descida em uma das ilhas e um curto passeio guiado. O mergulho é à parte e tem custo adicional de R$ 170, enquanto somente o passeio estava R$ 320/pessoa.
Decidimos não fazer porque achamos longo demais para os malinhas (e até pra nós) e o preço bem salgado, mas para quem realmente tem interesse em mergulhar deve ser um sonho, pois é um santuário preservado maravilhoso.


⛵ Passeio para observação de baleias
Praticamente todas as agências de Prado e Cumuruxatiba vendem esses passeios na época de visita das baleias jubarte à região (não à toa conhecida como Costa das Baleias), entre os meses de julho e novembro. Como estivemos por lá no finzinho de dezembro/começo de janeiro, esses passeios não estavam disponíveis. Mas super indico para quem for pra lá nesses meses, pois todos com quem conversamos disseram que as baleias dão um show de simpatia e interação!

📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍
Planeje sua viagem! 
Utilizando os links dos nossos parceiros abaixo, você não paga nada a mais e nos ajuda a continuar produzindo conteúdo bacana e atualizado.
🏨 Reserve sua hospedagem aqui: Booking 
🚗 Alugue um carro aqui: Rentcars
🛫 Compre passagens aéreas aqui: Passagens Promo
🏥 Contrate o seguro viagem aqui: Seguros Promo - use o cupom ENTREMOCHILAS5 e ganhe 5% de desconto!
📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍📍

- 👇 Salve essa imagem no seu Pinterest 👇-