6 incríveis passeios de trem no Brasil

******** informações atualizadas em novembro de 2018 ********
Não sei vocês, mas minha turma de malinhas gosta de trens. Confesso que eu também, talvez porque não seja um meio de transporte usual aqui no Brasil (e os trens turísticos aqui não se parecem nadica com os trens realmente usados como meio de transporte na Europa, por exemplo). Pra mim traz uma aura meio nostálgica, fico imaginando mulheres de vestido comprido e homens de cartola entrando nos vagões... Na maioria dos passeios tem uma maria-fumaça e vagões reformados, bem túnel do tempo mesmo, com perdão pelo trocadilho.
Nós já fomos em vários passeios diferentes, até sem os malinhas, e em todas as vezes valeu a pena, seja pelo trajeto, seja pelas atrações durante a viagem. Os preços variam bastante dependendo da distância e de quão famoso é o passeio, assim como o nível de conforto dos bancos.
Pra ajudar na descrição dos passeios criei a classificação abaixo:

Interesse
  super top
  legal
  dá pra pensar duas vezes

Preços
 caro (mais que R$ 100 por pessoa)
 médio (R$ 50 a R$ 100 por pessoa)
 barato (até R$ 50 por pessoa)

Duração do passeio
 longo (2 horas ou mais por trecho)
 médio (1 a 2 horas por trecho)
 curto (menos de 1 hora por trecho)

Vamos lá então?

1- Campos do Jordão (SP)
De Campos partem vários passeios de trem, sendo um dos mais famosos o que vai até Santo Antonio do Pinhal - nesse trajeto houve um acidente feio há uns anos atrás e a linha deixou de funcionar por bastante tempo. Segundo o site da Estrada de Ferro, "Os trens que operam no trecho de serra da EFCJ, entre Pindamonhangaba e Campos do Jordão e entre Campos do Jordão e Santo Antonio do Pinhal, estão temporariamente suspensos. A previsão é que voltem a operar na temporada de inverno de 2019."
Os passeios que já fizemos foram o de bonde turístico e o trenzinho da montanha, que faz uma espécie de city tour pela cidade. Todos os preços e horários atualizados podem ser consultados aqui no site da Estrada de Ferro Campos do Jordão.
Mais dicas de Campos do Jordão aqui: Dicas de Campos do Jordão - com e sem malinhas

- Bonde Turístico -      
Perfeito para os bem pequenos pois apesar de não ser trem de verdade, vale o entusiasmo de sair da estação e fazer um passeio pela cidade. Ele parte da estação Emílio Ribas, de onde partem os demais trens. O trajeto é curtinho - vai apenas até o portal de entrada - e não é permitido descer em nenhum ponto. É barato (segundo o site, R$ 16 por pessoa), tem um quê de passeio de trem, e os vagões guardam muitas características originais, como os bancos de madeira.

- Trenzinho da montanha    
De novo, esse não é exatamente um trem mas tem cara de trem, então os malinhas normalmente se entusiasmam. Os passeios saem do Capivari e normalmente fazem uma volta pelo bairro Alto Capivari e pontos turísticos de Campos - nesses últimos, você pode descer pra conhecê-los. Nós fomos com a malinha pequenininha e ela curtiu o sobe e desce das ladeiras todas. Descemos na Ducha de Prata pra tirar fotos e curtir o visual, era um fim de tarde bem bonito. Pra quem não conhece nada de Campos pode ser um bom começo.
Os trajetos podem variar um pouco, por isso é bom se informar antes de embarcar. O valor (em julho/2018) era de R$ 25 por pessoa.

2- São Lourenço (MG) -     
Passamos um feriado em São Lourenço com os 2 malinhas há 4 anos mais ou menos. É um ótimo lugar pra ir com crianças, visitamos os parques termais de São Lourenço e também de Caxambu, que é pertinho, e fizemos o passeio de trem que é bastante famoso. Esse sim é um trem legítimo, puxado por uma maria-fumaça barulhenta e antiga. Os trens são operados pela empresa Trem das Águas, e as informações de preços e horários estão no site deles (link aqui). Nos feriados, quando a cidade fica cheia, é bom comprar os lugares com antecedência pois esse é um passeio tradicional de São Lourenço. A estação é uma atração à parte, muito linda e com diversas referências à antiguidade da maria-fumaça.
O trajeto é de 10 km até a cidadezinha de Soledade de Minas e leva cerca de uma hora. Já aviso que a estação de Soledade precisa urgentemente de restauração e o caminho não é exatamente bonito - percorre a periferia das duas cidades, que se parece com a periferia de qualquer outra cidade. A atração maior do passeio é o trem em si. Na estação de Soledade há um pequeno museu de antiguidades, muitos instrumentos e fotos ligados à história das linhas ferroviárias, e também objetos como câmeras fotográficas e máquinas de escrever antigas. 
No caminho entram violeiros tocando músicas caipiras, por sinal todos muito simpáticos, o que combina com o espírito de interior de Minas.
Como o passeio é curto os bancos de madeira não chegam a incomodar - nós compramos a passagem mais barata, no vagão onde os bancos não são estofados. Pagando um pouco mais caro é possível pegar um lugar nos vagões com os bancos macios.

3- Serra da Graciosa (PR) -     
Passamos um feriado de carnaval em Curitiba com os 2 malinhas e reservamos um dos dias para esse passeio, que é bastante longo e ocupa um dia todo. Todos os detalhes dessa viagem nesse post aqui: Curitiba com 2 malinhas
O Trem da Serra do Mar Paranaense, como é chamado oficialmente o trem que percorre a famosa Serra da Graciosa, é operado pela Serra Verde Express. Compramos as passagens com antecedência pelo site deles e um dia antes fomos dar uma olhada na estação e fazer a troca do voucher pelas passagens. Tudo bem organizado e fácil, pois essa empresa na verdade é uma agência de turismo e opera outros trens em outros estados. Compramos os lugares na classe turística, o que dava direito a um lanchinho por pessoa (nada de mais, água e um pacotinho de bolacha). O trem parte de Curitiba e vai até Morretes, no litoral paranaense. A distância entre as duas cidades é de cerca de 70 km, mas de trem são 110 km e mais de 4 horas com certeza - o caminho é compartilhado com trens de carga e em vários pontos um comboio tem que esperar o outro passar, e não é raro a viagem durar 5 horas ou mais (no dia em que fomos levamos cerca de 5 horas até Morretes). 
A ferrovia corta a mata atlântica num dos trechos mais preservados do país, mas tivemos azar com o tempo no dia - muito fechado, chovendo em vários trechos, e nos pontos mais bonitos, onde os trilhos parecem flutuar no ar, não conseguimos ver muita coisa devido à neblina... uma pena, pois dizem que as paisagens são lindas. Um guia foi nos explicando a história da ferrovia, que data do século XIX, além das particularidades do caminho que ainda é bastante usado para escoar cargas até o porto de Paranaguá.
Os malinhas dormiram um bom pedaço da viagem, e chegamos em Morretes com muita fome, depois de tantas horas.
Morretes é conhecida pelo seu prato típico, o barreado - carne de boi bem cozida em meio a um pirão de farinha, feito e servido em panela de barro, uma delícia. A cidade é bem pequena e super fofa e encontramos um restaurante bastante simpático para almoçar. 
Tentamos dar uma volta na cidade mas começou a chover pesado, o que dificultou uma caminhada mais exploratória. Além disso, não havíamos comprado as passagens de trem da volta pois achamos que seria muito tempo de trem, e havíamos sido informados que era bem fácil voltar de ônibus ou de van para Curitiba - não se enganem como nós, os ônibus são poucos e em horários bem espaçados, e não vimos nenhuma van (talvez porque o tempo estava ruim, mas não dá pra ter certeza). No meio da chuva encontramos um táxi que topou nos levar até Curitiba, e não foi barato. Em resumo, o passeio é maravilhoso, especialmente se o tempo estiver bom, mas é preciso planejar bem a volta.

4- Vale dos Vinhos (RS) -     
O passeio de trem entre Carlos Barbosa, Garibaldi e Bento Gonçalves, no vale dos vinhos, fez parte da nossa viagem a Gramado. Como não conseguimos comprar apenas o passeio de maria-fumaça, acabamos fazendo um passeio tipo excursão que durou o dia todo e foi bem cansativo, mas valeu pelo trem. No site da prefeitura de Carlos Barbosa podem ser encontrados todos os detalhes de horários e preços, mas como no caso do trem da Serra da Graciosa, é uma agência de turismo quem controla a venda das passagens.
O passeio em si é uma delícia - curto o suficiente pra não cansar, os bancos são relativamente confortáveis, o entretenimento dentro dos vagões é bem interessante - tem música tipica italiana e até pequenos atos de teatro -, e umas tacinhas de vinho estão incluídas no pacote (ganhamos as tacinhas logo no início da viagem, dentro dos vagões na parte de cima dos bancos há uns ganchinhos para mantê-las à mão). Há algumas opções de horários e trajetos, nós fizemos o passeio que partia às 16h de Carlos Barbosa com parada em Garibaldi e desembarque em Bento Gonçalves. 
Um dos passeios de trem mais legais de todos que experimentamos, diria que praticamente obrigatório para quem vai à serra gaúcha. Todos os detalhes da nossa viagem à Gramado e Canela nesse post aqui: Gramado e Canela em janeiro com 2 malinhas

5- Guararema (SP)     
Esse é um dos melhores passeios de trem que fizemos - organizado, curto, fácil de chegar, fácil de comprar, fica faltando apenas um guia para contar um pouco da história - mas na estação de saída há um pequeno museu com peças originais e um resumo da história do lugar. Não é dos mais baratos mas vale muito a pena.
A saída é de Guararema (35 km de São José, 75 km de São Paulo), uma cidadezinha cheia de restaurantes, famosa pelos enfeites de Natal no final do ano, bem gostosa para um passeio preguiçoso, e a chegada é no distrito de Luis Carlos, a 7 km de Guararema, uma vilinha que foi totalmente restaurada e conta agora com vários restaurantes e lojinhas. 
Em meia hora de trem chega-se em Luis Carlos, fica-se lá por cerca de uma hora e meia, e parte-se de volta para Guarema - o passeio todo leva umas duas horas.
Os horários e dias disponíveis de passeio, bem como a compra dos ingressos, podem ser verificados no site Trem de Guararema-SP.
Nossos malinhas amaram, e eu acho um passeio sob medida para as crianças. Dá para almoçar na cidade, fazer o passeio, tomar um sorvete em Luis Carlos e voltar para Guararema ainda no final da tarde.
Mais dicas de Guararema neste post: Roteiro em Guararema com 2 malinhas

6-  Tiradentes-São João Del Rey (MG)     
Este também é um passeio muito conhecido e tradicional. Fizemos o passeio de maria-fumaça entre São João Del Rey e Tiradentes numa viagem sem os malinhas - mas que sem dúvida dá para levar as crianças. Também é um passeio curto (12 km cada trecho, cerca de 45 min), muito organizado, a paisagem é bem bonita - e ainda dá pra comprar uns docinhos no caminho!
É possível comprar só um trecho, ou ida e volta, de uma cidade ou de outra - os detalhes de datas, horários e preços no site da empresa que opera o trem turístico. Como estávamos em São João Del Rey, compramos ida e volta dali. E nesta estação fica o Museu Ferroviário, super interessante e cheio de fotos e objetos antigos, inclusive a maria- fumaça original, além dos detalhes da época da inauguração, manchetes de jornal, fotos, um mergulho no século XIX. Vale a pena gastar um tempo ali com certeza (eu adoro um museu, então sou meio suspeita!)
Quando chegamos em Tiradentes vimos o giro da locomotiva, a chamada rotunda - há um mecanismo para troca de direção da maria-fumaça. Como íamos de carro para Tiradentes naquele mesmo dia, optamos por voltar no horário seguinte e nem saímos da estação, mas dá para escolher um outro horário de volta dentre os disponíveis.
A paisagem no caminho é bem típica de Minas, muitas fazendas, gado e rios, emoldurado por um paredão de montanhas. O dia estava lindo e foi um passeio super agradável, vale a pena fazer.
Muito mais sobre São João Del Rey e Tiradentes aqui: Minas a dois - São João Del Rey e Tiradentes

E até hoje foram esses! Há ainda vários que queremos fazer - a maria-fumaça Campinas-Jaguariúna (SP), Ouro Preto-Mariana (MG), o trenzinho que vai até o Corcovado (RJ)... Aceitamos recomendações!

Comentários